1 View0

Característico Pão de Ló de Arouca, doce de farinha, açúcar e ovos. Pode-se encontrar no formato de bola ou em fatia, este mais húmido.

Longe vai o ano de 1840, data que marca o início de um ícone da gastronomia regional de Arouca: O afamado Pão-de-Ló.

A receita nasce no seio de uma família: Teixeira Pinto, numa época em que os favores se pagavam com gentilezas.

«A família herdou o tesouro, a receita genuína.»

Tiago e Isilda BrandãoA. Teixeira Pinto

Doutores, abades, juízes e bispos eram agraciados com o delicioso bolo nascido das mãos de uma “madrinha”, guardada com saudade, sempre no espírito do bem guardado segredo trazido até aos nossos dias. Segredo esse que surge da mestria de bem cuidar uma massa cremosa, de cor amarelo forte e fruto de três ingredientes muito básicos: ovos, farinha e açúcar. A mesma massa que era mexida e remexida durante horas para lhe conferir a sua textura macia.

Dentro do forno de lenha, o doce vai ganhando forma, cor e aroma que se escapa nos intervalos em que a sua porta é aberta para se vigiar a sua cozedura.

A madrinha, dizia não ter segredos – apenas muita paciência e cuidados. Não tardou a chover pedidos, todos queriam o célebre Pão-de-Ló e a madrinha começou a fazer o doce para fora. O mesmo doce que agradecia favores, cedo passa a ser regalo de Natal e Páscoa e mesmo nos fins-de-semana, quando alegres convivas se reuniam em torno da mesa.